Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ventania

In two days tomorrow will be yesterday.



Sábado, 09.07.11

"Começar as casas pelo telhado"

Medo de não ter um abrigo quando a chuva cai mais forte. Medo de passar frio. Medo de estagnar naquela fase transitória do "quero ser independente e livre e feliz mas não sei para onde ir".

Pois.

 

Mas ainda a propósito do "amo-te" (Beagle, é para ti), não sei se é algo que só está no fim das etapas que antecipamos lógicas e sequenciais. Ou pelo menos sei que as etapas não têm de surgir ordeiras e em velocidade de cruzeiro. Podem bem saltar ao eixo e quando dás por elas estás a fazer o que achavas impossível, falas do "sempre" com a pureza do primeiro amor e sentes cada sílaba. Sabes que aquela pessoa que conheceste há 3 semanas É o Amor da tua vida, sabes desde o primeiro dia, e quando essa pessoa te conhece a alma de cor e olha-a de frente, sem medo algum, te pega nas mãos e te pergunta "sabes que te amo?", sentes uma paz, mágica, como se o Universo todo confluísse para aquele momento, para aquelas palavras que se materializam naquele beijo e não importa o tempo que passou, o pouco calendário que viram juntos ou todas as estórias que ainda estão por acontecer. Sabes, porque todas as tuas células te dizem, porque todos os sinais garantem, que aquilo é o Amor que imaginavas e muito além, SABES que aconteça o que acontecer, aquela é A tua história de Amor. As etapas que racionalmente esperas que se sucedam, o conhecer a outra pessoa doutros ângulos, saber os seus segredos, partilhar momentos, ultrapassar as dificuldades, vão surgindo, sim. E cada uma confirmando aquele primeiro momento.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Ventania às 14:58


2 comentários

De Beagle a 09.07.2011 às 23:11

Percebo-te muito bem Princesa. Mas sabes, muitas vezes o amo-te acontece porque se sente amor, porque se pensa que é amor, mas na verdade nunca se sentiu amor até se sentir o verdadeiro amor. Sou suficientemente romântico para acreditar no amor à primeira vista mas irritantemente racional para o concretizar apenas ao fim do seu tempo de gestação. Desculpa a comparação, mas acredito que o amor é como um atleta. Podes ver imediatamente se tem potencial, se tem fibra, se tem pulmão, mas só tens a certeza se é mesmo bom durante as provas.
Quantos amores não morrem sem nunca o terem sido?
Paixões podemos ter muitas, amores, de verdade, temos poucos.
Um beijo grande;)

De Ventania a 10.07.2011 às 10:18

Concordo inteiramente. Quem já não disse um "amo-te" deslocado, pura ilusão, pensa-se agora. Mas no momento era real, mesmo sem o ser, e é assim que se aprende e se descobre as grandes diferenças entre o Amor e os amores. :)
Beijo, tem um domingo bom e, se puder ser, cheio de Amor!

Comentar post



Pesquisar

Pesquisar no Blog  


calendário

Julho 2011

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31